Indumentária, f. Arte do vestuário. História do vestuário. Sistema de vestuário, em relação a certas épocas ou povos.

in Cândido Figueiredo, Pequeno Dicionário da Língua Portuguesa, "Dicionários Bertrand", 21ª ed., Lisboa, Livraria Bertrand, 1981.

Sunday, November 25, 2007

Feira Natal na Estrela

"É Natal, é Natal, nanananã..."
O Pai Natal resolveu oferecer-nos 4 dias de feira. Atenção: são os dias 1, 2, 8 e 9 de Dezembro. Para já, o Umbigo de Vénus estará no domingo dia 2 e a escolher entre o 8 e o 9 de Dezembro.
Mas de qualquer forma apareçam nos 4 dias porque há coisas fantásticas.
Até lá... E que o Pai Natal nos traga belos movimentos e muita criação artística.

Friday, November 23, 2007

Justilho Terra



Um novo padrão para um justilho. Este é o Justilho Terra. Já sabem soutien não incluido.
"Dancing is silent poetry"

Simonides

Istar Jardim de Vénus




O Jardim de Vénus ascendeu. Agora este jardim florido oscila nos braços deste Istar.

Tamanho 34/36 - Único

Tuesday, November 13, 2007

...
Safieh dobrou os joelhos e empurrou o peito para a frente. Ela deu sinal para os músicos começarem, e enquanto eles tocavam a pugente música chifietelli e estalavam as suas castanholas, ela estendeu os braços, revirando mãos e pulsos. Mantinha os ombros imóveis e ondulava os quadris de um lado para o outro, levantando-os devagar, primeiro o esquerdo, depois o direito, e enquanto a parte debaixo do seu corpo se movia, ela levantava os braços e cruzava-os logo abaixo dos olhos, depois deslizava-os graciosamente pelos lados do corpo, ondulando com tanta sensualidade que teria sido capaz de fazer o mármore derreter-se.

Janet Wallach

Saturday, November 3, 2007

Al C, Astare & Istar Riscas de Vénus



Um conjunto de fazer inveja ao Al Capone. O Istar Riscas de Vénus foi um modelo que esteve em venda no 3º Encontro de Danças Orientais, porém, não foi fotografado a tempo. E as calças a que o Umbigo de Vénus denominou de Al C são muuuuuuuito transparentes e apertam atrás.

Justilho Esvoaçante & Harém de Vénus




Este é um justilho com mangas. É o Justilho Esvoaçante.
Insónia roxa. A luz a virgular-se em medo,
Luz morta de luar, mais Alma do que a lua...
Ela dança, ela range. A carne, álcool de nua,
Alastra-se pra mim num espasmo de segredo...

Tudo é capricho ao seu redor, em sombras fátuas...
O aroma endoideceu, upou-se em cor, quebrou...
Tenho frio... Alabastro!... A minh'Alma parou...
E o seu corpo resvala a projectar estátuas...

Ela chama-me em Íris. Nimba-se a perder-me,
Golfa-me os seios nus, ecoa-me em quebranto...
Timbres, elmos, punhais... a doida quer morrer-me:

Mordoura-se a chorar - há sexos no seu pranto...
Ergo-me em som, oscilo, e parto, e vou arder-me
Na boca imperial que humanizou um Santo...

Mário de Sá-Carneiro

Azulejo



Quem disse que os azulejos estão nas paredes? Esta é a saia Azulejo. Esta saia é um misto entre o modelo Roda Flores e umas calças Harém de Vénus.

Justilho Fogo Azul III



E na sequência deste padrão surge o último modelo. Com uma manga subtil. Muito, muito delicado. Eu gosto, tu gostas e nós... gostamos!!

Upgrade do Fogo Azul



O Fogo Azul está mais rico. Fez um upgrade. Espero que gostem...